Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Aroma dos Livros

O Aroma dos Livros

03
Mai21

"A Rapariga do Fim" de Leslie Wolfe

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_2485.jpg

Nome: A Rapariga do Fim

Autora: Leslie Wolfe

Páginas: 328

Editor: Alma dos Livros

Temática: Thriller/Policial

Agradeço à editora a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Depois de o corpo de uma modelo famosa ter sido encontrado sem vida, Tess Winnett recusa-se a aceitar a tese de suicídio e inicia uma investigação para descobrir os verdadeiros motivos daquela morte. Não pode ser de ânimo leve que alguém decide pôr termo à própria vida e ainda menos quando parece ter o mundo aos seus pés. À medida que se propaga uma onda de crimes assustadora, muitas questões se vão colocando, mas poucas são as respostas concretas. Ninguém sabe que existe um serial killer à solta. Ninguém, exceto Tess. A sua investigação revela mistérios há muito enterrados e mostra uma relação entre as diversas mortes. A agente especial do FBI retira apenas uma conclusão: alguém tem o controlo deste jogo perigoso. E não é ela. Com pouca informação e ainda menos pistas, Tess Winnett tenta encaixar todas as peças de um cenário mortal com um grande número de vítimas em potência. Quanto mais tempo se atrasa, mais uma belíssima jovem se prepara para morrer. Há um plano macabro em execução e a próxima vítima está a ser atraída para um labirinto sem paz nem retorno. Afinal, como se pode fugir de um assassino que não se sabe que existe?

Opinião: Mais um excelente livro da minha adorada autora Leslie Wolfe. Já não é novidade para ninguém de que gosto bastante dos policiais desta autora. Este, obviamente, não foi exceção. Deparamo-nos com mais um caso macabro e que deixa a inspetora Tess embrenhada e a correr contra o tempo. Um aparente suicídio de uma figura pública deixa Tess desinquieta. Rapidamente, Tess decide investigar este suicídio como suspeito. Outras figuras públicas aparecem mortas e Tess vê-se numa corrida contra o tempo para evitar mais mortes às mãos deste assassino "Ladrão de Vidas". Viajando pelo que é a dark web e a perversão humana, este policial tem um ritmo frenético e deixa o leitor sem fôlego. Mantendo o que já é caraterístico nos policiais da autora, temos uma grande pesquisa por detrás da construção deste assassino. O leitor é confrontado em diversos momentos da narrativa com a perspetiva, pensamento e motivações do assassino, fazendo com que quem lê se sinta próximo deste serial killer. O desfecho foi surpreendente, sendo que a revelação do assassino foi uma grande surpresa para mim enquanto leitora. Delineei diversas teorias acerca de quem poderia ser o criminoso, no entanto, nenhuma delas se revelou certeira. É daqueles livros que não deixa grandes pistas acerca da identidade do assassino, caraterística que permite que o leitor desfrute do enredo de uma forma mais natural. Esperando mais aventuras da Tess e torcendo pelo romance que está a surgir, atribuo 5 estrelas a mais um brilhante policial de ação rápida e arrepiante. Fãs de policiais alucinantes: têm de ler esta série!

26
Abr21

"O Atrevido" de Vi Keeland

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_2470.jpg

 

Nome: O Atrevido

Autora: Vi Keeland

Páginas: 320

Editor: TopSeller

Temática: Romance Erótico

 

 

Sinopse: Estava fora de questão envolver-me com o meu patrão, por mais atraente que ele fosse… Despedida por conduta imprópria. Eu não podia acreditar na carta que tinha nas mãos. Nove anos. Nove malditos anos em que me matei a trabalhar para ser apresentadora do noticiário numa das maiores estações de televisão do país, para acabar despedida por carta depois de uma semana de férias. Tudo por causa de um vídeo na praia com as minhas amigas — um vídeo privado feito durante o meu tempo livre. Ou assim pensava eu… Furiosa, abri uma garrafa de vinho e escrevi um e-mail enraivecido ao diretor-geral, dizendo-lhe o que achava da empresa dele e das suas práticas. Não achei que ele fosse responder. Mas ele lá acabou por perceber que eu tinha sido enganada e conseguiu que eu tivesse o meu emprego de volta. Só que… não era apenas isso que o Grant Lexington queria fazer por mim. Ele podia ser estupidamente atraente, confiante e charmoso, mas eu não ia envolver-me com o chefe do chefe do meu chefe. Nem pensar! Só não esperava que algo tão errado fosse tão arrebatador!

Opinião: Livro lido com o Erotic Book ClubCom a leitura deste livro estreei-me naquela que é uma das mais aclamadas autoras da literatura erótica. E que estreia...! Ireland, a nossa protagonista, vê-se perante um injusto despedimento ao fim de nove anos na empresa, por má conduta. Descontrolada e ligeiramente alcoolizada, Ireland envia um email ao seu patrão, referindo tudo aquilo que acha relativamente à empresa e aos seus pares. Grant, o patrão, lê o email e fica imediatamente surpreendido pela perspicácia de Ireland. Grant decide dar uma oportunidade a Ireland de mostrar que foi injustamente dispensada e que é uma excelente profissional. Mas há um problema... Grant é extremamente giro, exuberantemente sexy, irresistivelmente atraente... A narrativa é-nos apresentada em capítulos intercalados entre a Ireland e o Grant, o que enriquece a interação no momento da leitura, uma vez que vamos acompanhando a perspetiva de ambos, os seus pensamentos, as suas opiniões e as suas emoções. Ao longo da narrativa, somos levados ao passado de Grant, que nos finta e leva para assuntos da índole mental, nomeadamente a doença mental. É surpreendente o facto de um livro, que à partida, sendo erótico, fala apenas de uma relação com base em atração, mencionar e abordar temas como a saúde mental e tudo o que lhe está inerente. Ainda que uma abordagem ténue, é um dos elementos fulcrais para o desfecho deste enredo. É fácil gostar de Ireland e de Grant, tanto pela relação que ambos têm ao longo da narrativa, como pelas personalidades vincadas de cada um. A leitura é bastante fluida e a escrita é simples e fácil de se ler. Facilmente, caso tivesse tempo, leria este livro em apenas uma tarde... Li em dois dias. Foi uma estreia que superou as altas expectativas e que aguçou ainda mais a vontade de ler todos os livros desta adorada autora. Um livro excecional que, dentro do género, consegue inovar e ir além daquilo que é, por definição, um romance erótico. 5 estrelas bem grandes, com vontade imediata de atacar os livros anteriores (já tenho mais dois na estante à espera)! A Vi Keeland ganhou mais uma fiel fã e seguidora do seu trabalho como escritora!

14
Abr21

"Os Sete Maridos de Evelyn Hugo" de Taylor Jenkins Reid

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_2214.jpg

 

Nome: Os Sete Maridos de Evelyn Hugo

Autora: Taylor Jenkins Reid

Páginas: 432

Editor: TopSeller

Temática: Romance

 

Sinopse: Evelyn Hugo, uma das maiores estrelas de Hollywood, agora a aproximar-se dos 80 anos, decide finalmente contar tudo sobre a sua vida recheada de glamour e de uma boa dose de escândalos. Quando escolhe a desconhecida Monique Grant para escrever a sua história, todos ficam surpreendidos, incluindo a própria jornalista. Porquê ela? Porquê agora? Determinada a aproveitar a oportunidade para impulsionar a sua carreira, Monique regista o relato de Evelyn com fascínio e admiração. Da chegada a Hollywood no início da década de 1950 à decisão de abandonar o mundo do espetáculo 30 anos depois, incluindo, claro está, os seus sete casamentos, a vida de Evelyn é repleta de ambição desmedida, amizades improváveis e um grande amor proibido. À medida que a história de Evelyn se aproxima do final, torna-se claro que a sua vida está ligada à de Monique de uma forma trágica e irreversível.

Opinião: Depois de tanto ouvir falar na Evelyn Hugo, eis que conheço a sua história e, parece impossível, ainda consigo ser surpreendida! Uma mulher, sete maridos e uma vida aparentemente glamorosa. Evelyn Hugo é uma das maiores estrelas de Hollywood do seu tempo, que deu muito que falar com os seus sete casamentos. Na atualidade, já com 80 anos, decide, finalmente, contar tudo o que o mundo queria saber acerca dos seus sete maridos. Para o contar, acaba por escolher a Monique, uma jovem jornalista em ascensão, o que causa algum desconforto no meio dos média. As questões surgem: Porquê a Monique? O que haverá em Monique para ser a escolhida por Evelyn para, finalmente, confiar e confessar o seu passado? Ao longo do enredo vamos percebendo que na vida de Evelyn, nem tudo foi perfeito, nem tudo foi coincidência. Para chegar onde chegou teve de lutar e arriscar, fazendo, por vezes, o impensável. A resiliência que uma mulher tem de ter para alcançar os seus sonhos e as suas ambições foi a grande lição que tirei deste livro fenomenal. Uma história de vida que emociona, sobressalta, mas surpreende. Este livro ensina-nos que nem sempre escolhemos a forma correta para alcançar aquilo que queremos, e está tudo bem na mesma. É a pura realidade que temos de nos fazer ver, temos de marcar presença, mesmo que isso implique ofuscar outros de diversas formas. Numa perspetiva daquilo que é o mundo cinematográfico, claro, mas é uma realidade que se aplica a qualquer outra profissão. Inconscientemente, dei comigo a concordar com a Evelyn em certas e determinadas decisões, pura e simplesmente porque tinha de ser. É um livro que fala, também, no poder da amizade e o quanto ela pode ser transformadora. Na importância de termos em quem confiar qualquer coisa. A escrita da autora é excelente, muito fluida. A alternância entre as memórias de Evelyn e o momento presente dá-nos uma dinâmica diferente na leitura. Fez-me lembrar o filme do Titanic, para quem já viu: a Rose, já velhinha, a recordar o que aconteceu. Esta minha cabeça começou logo a ler o livro com este pensamento, o que, parecendo que não, me deixou muito mais embrenhada na história. A genialidade de criar uma personagem como a Evelyn é algo que me arrebatou. Uma personagem com uma personalidade muito forte e completa, que é capaz de nos transportar para as suas memórias e sentir o que ela sente. Para mim, é uma história de vida e um ensinamento: há que ser resiliente, e nem sempre podemos agradar a todos para nosso próprio benefício. Recomendo muito muito muito, 5 estrelas mais que merecidas. Fez-me chorar, e isso, para mim, significa muito. Agora falta haver um filme!

10
Abr21

"Instinto" de Ashley Audrain

Marina Daniela

Informações do livro:

3A2DA7BD-6CF7-4987-B5DA-87DA4D8FCF51.JPG

 

Nome: Instinto

Autora: Ashley Audrain

Páginas: 344

Editor: Suma de Letras

Temática: Thriller/Drama

Agradeço à editora a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Blythe Connor está determinada a ser a mãe afectuosa e solidária que nunca teve. No entanto, no auge dos esgotantes primeiros dias de maternidade, Blythe convence-se de que alguma coisa não está bem com Violet. Com o passar do tempo, a sensação agrava-se: a filha é distante, rejeita o afecto e revela-se cada vez mais perturbadora. Ou estará tudo apenas na cabeça de Blythe? O marido diz que ela está a imaginar coisas. Quanto mais Fox ignora os seus receios, mais ela se questiona sobre a sua própria sanidade mental. Quando nasce o filho mais novo, tudo parece melhorar: Blythe sente com Sam a ligação que sempre imaginou; Violet acalma e parece adorar o irmão mais novo. Mas, de repente, tudo muda e Blythe não poderá mais ignorar a verdade sobre o seu passado e sobre a sua filha. Onde está a verdade quando tudo tem duas caras?

Opinião: Este livro, envolto numa grande publicidade, prometendo ser um grande thriller, foi mais um drama familiar, mas, ainda assim, não deixou de ser uma boa leitura. O enredo apresenta-se em diferentes linhas temporais, três, em que conhecemos as histórias dos antepassados de Blythe. A história do presente é contada na segunda pessoa do singular, sendo que a protagonista, Blythe, está a dirigir-se ao seu ex-marido, Fox. Estes formatos de diferentes linhas temporais e do registo do presente na segunda pessoa do singular conferiram uma experiência de leitura diferente, porém enriquecedora por ser, para mim, uma experiência nova. Poderá, a alguns leitores, causar estranheza, mas rapidamente nos envolvemos: "primeiro estranha-se e depois entranha-se". As mulheres do passado de Blythe não me revelaram mães exemplares e extremosas. Será que isso influenciou o percurso de Blythe enquanto mãe? Ou será Violet, a sua filha, que tem comportamentos desapropriados para uma criança? Acontecimentos estranhos, reações estranhas, tudo envolto num ambiente tenso. De personagens ricas psicologicamente. Mexendo com o leitor. Toda a carga e comportamentos, na vertente psicológica, inerentes a esta história são a grande questão deste livro. Os detalhes psicológicos de todas as personagens levam o leitor a envolver-se numa montanha russa de pensamentos e emoções. A paranóia associada às personagens cria um ambiente de ansiedade e inquietação, intenso, profundo. Mas é uma paranóia que não leva o leitor a delirar, sendo demasiado soft. Não há o fator surpresa. E penso que é por aqui que este livro falha, pela incapacidade de ser imprevisível. Todos os passos das personagens, ainda que manifestando comportamentos de psique paranoica, são demasiado previsíveis e demasiado superficiais, explícitos. Ainda assim, foi um livro que li num ápice. A leitura flui com uma velocidade abismal. Prende o leitor até às últimas páginas e... Nas últimas páginas fiquei com a sensação de que ficaram algumas coisas por contar, algumas pontas por atar. Haverá continuação? Não sei. Mas seria fundamental para arrebatar esta história de 4 estrelas. Recomendo a todos os leitores que gostam de histórias intensas e inquietantes, viscerais, envolventes, porém aconselho essencialmente a mães, que poderão embrenhar-se nesta leitura numa perspetiva diferente da minha.

05
Abr21

"Segredo Mortal" de Bruno M. Franco

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_2078.jpg

Nome: Segredo Mortal

Autor: Bruno M. Franco

Páginas: 488

Editor: Cultura Editora

Temática: Thriller/Policial

Agradeço ao autor a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Na véspera de Natal, cheias massivas submergem o centro de Lisboa, causando danos incalculáveis e centenas de mortes. Designada por Desastre de Lisboa, a catástrofe é atribuída ao aquecimento global. Mas terá resultado realmente das alterações climáticas? Um cenário aterrador é descoberto numa praia. Chamados a intervir, Leonardo Rosa e Marta Mateus, inspetores da Polícia Judiciária, deparam-se com a mais tortuosa perversidade: Um puzzle humano. Iniciando uma caça ao homem, descobrem o perfil de um assassino, perigoso e inteligente, que desafia as capacidades dos inspetores. Assombrado pelos seus próprios fantasmas, Leonardo Rosa terá de ultrapassar barreiras para conseguir chegar à verdade: A descoberta de um segredo incrível. Entretanto, um jovem recém-licenciado é acusado de dois crimes que ele jura não ter cometido. Encurralado, decide fugir e provar a sua inocência, mas logo se envolve numa teia de acontecimentos que o leva a uma conclusão terrível: Matar é a única forma de sobreviver. Em busca de justiça e da verdade, vários acontecimentos sangrentos levam os inspetores e o jovem a embrenharem-se na maior conspiração de todas. Conseguirão sair dela vivos?

Opinião: Nem sei bem por onde começar. Este livro tem tudo. Ação e drama aliados a uma visceral mestria na arte de descrever. A um ritmo galopante, acompanhamos uma catástrofe natural e uma sucessão de fugas e homicídios. O Desastre de Lisboa, chuvas torrenciais, destrói a cidade de Lisboa. Facto: apenas a cidade Lisboa. Um puzzle humano é encontrado na Praia da Fonte da Telha; puzzle porquê? Porque é encontrado aparentemente um corpo humano, mas é constituído por membros de três vítimas diferentes. Os inspetores da PJ, Leo e M&M, têm em mãos um caso cheio de caraterísticas mórbidas: rapto, homicídio e, também, violação. Ao mesmo tempo, um jovem recém-licenciado, Carlos, é acusado de duplo homicídio de dois polícias na noite em que foi celebrar com a sua namorada e com os seus amigos o fim de mais uma etapa académica. Nesse sentido, Carlos vê-se obrigado a fugir e a provar que não cometeu estes crimes. Em síntese, temos três acontecimentos que, à partida, são distintos e nada têm que ver uns com os outros, no entanto... são um só. Se queres descobrir como, tens de ler o livro! O que dizer desta mestria? Estou sem palavras... Pela qualidade deste livro, pela forma como o autor liga todos estes acontecimentos, pelo ritmo alucinante, pelas descrições explícitas e que podem causar desconforto aos mais sensíveis. Começo por referir que todas as personagens deste livro, e ainda são algumas, têm um papel fundamental no enredo e na conclusão, pelo que nenhuma seria dispensável. A escrita do Bruno é exuberante: simples, mas rica. Os capítulos são curtos e intercalados entre as diferentes personagens. Acompanhamos, maioritariamente, as perspetivas de Leo, Carlos, Lúcio (o assassino) e M&M. Esta caraterística confere ao leitor uma leitura fluida e viciante. O vício e o não conseguir "largar o livro" deve-se também ao facto de todos os capítulo conterem ação, uma informação nova e uma última frase que influencia o leitor a ler o próximo capítulo. Descobrir este "segredo mortal" foi alucinante. Só o queria desvendar! Para além de entreter, este livro também ensina. Aprendi um pouco mais sobre alguns dos assassinos mais perversos da história e sobre o clima usado como uma arma de guerra. Aprendi-o sem me aborrecer. O modo como tudo fez sentido, sem pontas soltas, aliando três acontecimentos, confere ao leitor uma leitura compulsiva, veloz e de excelente qualidade. O final (mesmo as últimas frases) partiu-me o coração... E só espero voltar a encontrar o Leo e a M&M numa próxima caça ao homem. Um dos favoritos do ano, 5 estrelas. Parabéns, Bruno. Obrigada por esta leitura inesquecível.

30
Mar21

"O Rapaz do Bosque" de Harlan Coben

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_1893.jpg

 

Nome: O Rapaz do Bosque

Autor: Harlan Coben

Páginas: 352

Editor: Editorial Presença

Temática: Thriller/Policial

Agradeço à Editorial Presença a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Um homem com um passado misterioso tem de encontrar uma adolescente desaparecida. Um thriller emocionante. Há trinta anos, Wilde foi encontrado a viver no bosque, sem qualquer recordação do seu passado. Agora, adulto, ainda não conhece a sua origem. e outra criança está desaparecida. Ninguém parece levar a sério o desaparecimento de Naomi Pine, nem sequer o seu pai. Mas há uma exceção. Hester Crimstein, advogada criminal televisiva, sabe pelo seu neto que Naomi era constantemente vítima de bullying na escola. Hester pede a Wilde - com quem partilha uma ligação trágica - para usar a sua capacidade única para encontrar Naomi. Wilde não pode ignorar o desaparecimento daquela adolescente mas, para conseguir encontrar Naomi, tem de aventurar-se de novo no seio da comunidade, um lugar onde os poderosos são protegidos, mesmo quando guardam segredos que podem destruir a vida de milhões - segredos que Wilde tem de desvendar antes que seja demasiado tarde.

Opinião: Este foi a minha estreia com o autor Harlan Coben e após a minha leitura tenho um mix de feelings relativamente a este livro. No início do livro é-nos relatado que foi encontrado um menino na floresta, sozinho, mas com caraterísticas incomuns em crianças que crescem nestas circunstâncias, nomeadamente comer e falar. Ficou conhecido como Wilde e continuou a viver sozinho no meio da floresta. Anos mais tarde, uma jovem, vítima de bullying e chacota na escola, desaparece. O afilhado de Wilde pede ajuda ao último para que este tente encontrar Naomi e que descubra o que lhe possa ter acontecido. Dias mais tarde, outro jovem desaparece e, dias depois, é encontrado um dedo que lhe pertence. Ao contrário de Naomi, este jovem pertence a uma família poderosa e com muitos recursos. Esta família acaba por ter a ajuda de Wilde e de Hester, uma advogada e avó do afilhado de Wilde, para resgatar o filho, mas os raptores querem em troca algo que pode destruir vidas, desmascarar pessoas poderosas e deixar à tona segredos irremediáveis. Quero começar por dizer que gostei muito do ritmo desta história. Apesar de nem sempre a narrativa se focar no desaparecimento destes jovens, todo o enredo é bastante empolgante. No entanto, o facto de o autor querer dar ênfase a este segredo que, quando revelado, poderá destruir vidas, perdeu um pouco a história do desaparecimento de Naomi que é explicado de forma rápida e sem justificação plausível no final. Foi deixado, como se costuma dizer, "ao deus-dará". Dá a sensação de que o autor perdeu a premissa inicial, focando-se apenas no desaparecimento do jovem pertencente à família poderosa. O final ficou, a meu ver, em aberto para as personagens Wilde e Naomi, pelo que ficaram algumas questões que gostaria de ver respondidas numa possível continuação. Ainda assim, é um livro muito fácil de ler, que deixa o leitor entusiasmado com a leitura que flui. Apesar de não ser arrebatadora, é uma história leve que entretém o leitor e ideal para ler quando precisamos daquele thriller que nos prenda, mas que não exija muito de nós. É, sem dúvida, um livro com um desenvolvimento criativo, porém com algumas lacunas em determinados detalhes. Aconselho a leitura deste livro pelo ritmo galopante e pela genialidade da premissa, atribuindo-lhe, assim, 4 estrelas.

27
Mar21

"A Dança das Estrelas" de Emma Donoghue

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_1866.jpg

 

Nome: A Dança das Estrelas

Autora: Emma Donoghue

Páginas: 304

Editor: Porto Editora

Temática: Romance

Agradeço à Porto Editora a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Dublin, 1918. Numa Irlanda duplamente devastada pela guerra e doenças, a enfermeira Julia Power trabalha num hospital sobrelotado e com falta de pessoal, onde grávidas que contraíram uma gripe desconhecida são colocadas em quarentena. Neste contexto já bastante difícil de gerir, Julia terá ainda de lidar com duas mulheres enigmáticas: a Dra. Kathleen Lynn, procurada pela polícia por ser uma líder revolucionária do Sinn Féin, e uma jovem ajudante voluntária sem experiência de enfermagem, Bridie Sweeney. É numa enfermaria minúscula, escura e sem condições, que estas mulheres vão lutar contra uma pandemia desconhecida, perder pacientes, mas também trazer novas vidas ao mundo. No meio da devastação, histórias de amor e humanidade no dia a dia de mães e cuidadoras que, de várias formas, acabam por cumprir missões quase impossíveis.

Opinião: Leitura conjunta com #lercomas4. Numa narrativa passada em Dublin, no ano de 1918, com uma concentração de tempo densa, de apenas 3 dias, acompanhamos o dia a dia de uma enfermeira no decorrer da histórica gripe espanhola. Conhecemos a enfermeira Julia que tem como missão tratar de grávidas que adoeceram devido ao vírus da gripe Influenza. As condições da ala onde esta enfermeira trata de grávidas enfermas são precárias. O hospital encontra-se lotado e todo e qualquer espaço serve para tratar de doentes. O número de médicos, enfermeiros e auxiliares é reduzido, e Julia luta com toda a garra para que esta carência não resulte em destinos trágicos e fatídicos para as suas doentes. No primeiro dia desta história, Julia é ajudada por uma jovem tarefeira, a Bridie, que a auxilia nas tarefas de tratamento, partos prematuros e complicados e até de mortes. Nados-mortos, bebés recém nascidos que não resistem, grávidas que perdem a luta contra o vírus e recém mães que dão a sua vida, literalmente, aos filhos. Num cenário de pandemia idêntico ao que vivemos, acompanhamos a correria de um hospital e as condições débeis do sistema de saúde da época. O facto de esta história condensar-se em 3 dias intensos, faz com que o leitor tenha dificuldade em largar o livro. Está dividido em 4 partes, nomeadamente Vermelho, Castanho, Azul e Preto. Em primeira instância, o leitor não entende a razão pela qual o livro está dividido em 4 partes e com estes nomes, no entanto, a explicação e justificação é-nos dada ao longo da história. Estas 4 cores são a sequência de cores que um doente apresenta quando infetado até acabar por falecer. Também o título do livro tem uma grande simbologia que, uma vez mais, é-nos dada no decorrer da narrativa. E tudo faz sentido. A personagem Julia é uma mulher resiliente, carinhosa e com muita fé, e talvez por isso seja fácil criar uma empatia com ela e com a sua missão. O final deste livro leva-nos a refletir acerca do destino e da vida. Leva-nos a crer que tudo tem um porquê, mas nem sempre temos acesso às razões. Li este livro em 2 vezes, em 2 noites, porque é realmente uma leitura que flui e envolve. Aborda todos os problemas e carências na luta contra o desconhecido e na resiliência e esperança que é preciso manter nestas circunstâncias. Um livro de 4 estrelas que irá agradar muitos leitores e que daria uma excelente adaptação cinematográfica. Porque não as 5 estrelas? Porque há um determinado pormenor de um relacionamento que não foi devidamente justificado nem desenvolvido, como se caísse de paraquedas, e eu fiquei sem entender a razão pela qual surge aquele episódio.

25
Mar21

GIVEAWAY | 1º ANIVERSÁRIO | O AROMA DOS LIVROS

Marina Daniela

Hoje, O Aroma dos Livros faz 1 ano de existência! Estou tão feliz!

Para celebrar o 1º aniversário d'O Aroma dos Livros, vou oferecer em parceria com a Editora Saída de Emergência um exemplar do livro Femicídio de Pascal Engman.

O giveaway está a decorrer no Instagram. Se quiseres participar e habilitares-te a ganhar este livrinho, tens de seguir as regras desta publicação: https://www.instagram.com/p/CM12bnEjgix/?igshid=rysz5rvzm3e8

O sorteio termina no dia 31 de março às 23h59.

Boa sorte e obrigada por todo o carinho e partilha durante este 1º ano de O Aroma dos Livros!

 

1º aniversário (1).png

 

24
Mar21

"Pecados Santos" de Nuno Nepomuceno

Marina Daniela

Informações do livro:

IMG_1799 (1).jpg

 

Nome: Pecados Santos

Autor: Nuno Nepomuceno

Páginas: 448

Editor: Cultura Editora

Temática: Thriller

 

Sinopse: Nas comunidades judaicas de Londres e Lisboa, ocorre uma série de homicídios, todos eles recriando episódios bíblicos. Atos bárbaros de antissemitismo ou de pura vingança? Um rabino é encontrado morto numa das mais famosas sinagogas de Londres. O corpo, disposto como num quadro renascentista, representa o sacrifício do filho de Abraão, patriarca do povo judeu. O caso parece ficar encerrado quando um jovem professor universitário a lecionar numa das faculdades da cidade é acusado do homicídio. Descendente de portugueses, existem provas irrefutáveis contra si e nada poderá salvá-lo da vida na prisão. Mas é então que ocorrem outros crimes, recriando episódios bíblicos em circunstâncias cada vez mais macabras. E as dúvidas instalam-se. Estarão ou não estes acontecimentos relacionados? Poderá o docente vir a ser injustamente condenado? Porque insistirá a sua família em pedir ajuda a um antigo professor, ele próprio ainda em conflito com os seus próprios pecados? As autoridades contratam uma jovem profiler criminal para as ajudar a descobrir a verdade. Mas conseguirá esta mente brilhante ultrapassar o facto de também ela ter sido uma vítima no passado? Abordando temas fraturantes da sociedade contemporânea como o antissemitismo e o conflito israelo-árabe, e inspirando-se nos Dez Mandamentos e noutros episódios marcantes do Antigo Testamento, Pecados Santos guia-nos através das ruas históricas de Londres, Lisboa e Jerusalém, numa viagem intimista e chocante sobre o que de mais negro e vil tem a condição humana.

Opinião: E Nuno Nepomuceno volta a surpreender... Numa narrativa que se passa maioritariamente em Lisboa, Londres e Jerusálem, vários crimes surgem, aparentemente, relacionados com episódios bíblicos. Em Londres, numa sinagoga, um rabino é encontrado morto, tendo sido recriado o episódio bíblico d'O Sacrifício de Abraão. Pouco tempo depois, em Lisboa, surge um outro crime com suspeitas de se relacionar com o homicídio em Londres, dadas as semelhanças da eventual recriação de episódio bíblico. Afonso Catalão acaba por se envolver na investigação destes homicídios, e de outros que surgem posteriormente, também alusivos aos acontecimentos do Antigo Testamento, juntamente com Diana, a famosa jornalista, visto conhecer o suposto assassino do crime cometido em Londres. A grande dúvida, tanto das autoridades, como de Afonso e Diana, é se estes homicídios em Lisboa têm efetivamente uma ligação ao homicídio em Londres. Caso haja esta ligação, qual será a mensagem que este assassino quer transmitir? Será vingança ou uma limpeza religiosa àqueles que pecam? O professor Catalão volta a ser assombrado pelo seu passado, que tem demonstrado ser cheio de segredos e mistérios. Desta vez, é obrigado a reviver alguns dos seus maiores fantasmas, enfrentando, uma vez mais, a sua fatídica sorte. O autor volta a presentear-nos com mais uma excelente história, conferindo ao leitor uma série de novos conhecimentos relativamente ao conflito israelo-árabe e ao que lhe está inerente. Mais do que um livro que entretém, é um livro que ensina. E o autor consegue transmitir novos conhecimentos ao leitor sem que este último se aborreça. Pelo contrário, o leitor embranha-se na história de tal maneira que custa parar de ler. Os capítulos são curtos, conferindo uma leitura frenética e viciante. E agora vou falar daquele final... Mais do que um final, é o final que eu jamais esperara, um final que não serve simplesmente para agradar o leitor, mas sim para dar ênfase à brilhante escrita e criatividade deste autor, cuja mestria é evidente e apreciada por muitos. Um livro, sem quaisquer pontas soltas, merecedor de todos os adjetivos positivos e de, obviamente, 5 estrelas. Mais estrelas houvesse.

17
Mar21

"As Mensageiras da Esperança" de Jojo Moyes

Marina Daniela

Informações do livro:

 

IMG_1689.jpg

Nome: As Mensageiras da Esperança

Autora: Jojo Moyes

Páginas: 428

Editor: Porto Editora

Temática: Romance

Agradeço à Porto Editora a cedência do exemplar.

 

Sinopse: Alice Wright casa-se com o belo americano Bennett Van Cleve na esperança de escapar a uma vida sufocante, em Inglaterra. Mas a pequena cidade de Kentucky rapidamente se revela igualmente claustrofóbica, sobretudo vivendo Alice com o sogro autoritário. É então que é feito um apelo para a participação das mulheres da cidade numa equipa para entregar livros; um projeto da nova biblioteca itinerante de Eleanor Roosevelt. Alice adere com entusiasmo. Alice conhece assim Margery, a líder desta equipa, uma mulher autossuficiente e de discurso inteligente que nunca pediu permissão a um homem para nada. A elas juntar-se-ão três outras mulheres singulares que ficarão conhecidas como as Packhorse Librarians of Kentucky. A aventura destas mulheres - e dos homens que amam - torna-se um drama inesquecível de lealdade, justiça, humanidade e paixão. Estas mulheres, autênticas heroínas, recusam-se a ser intimidadas pelos homens ou pelas convenções. E embora enfrentem todos os tipos de perigos, não desistem da missão que abraçaram: levar a sabedoria, a leitura e o mundo fantástico dos livros até aos mais pobres e desfavorecidos. Mas quando a comunidade de Baileyville se voltar contra elas, será que a determinação - e o poder da palavra escrita - será suficiente para as salvar?

Opinião: Leitura conjunta com o Clube de Leitura Manta de Histórias. Nada como ler um livro sobre mulheres e livros na semana do Dia da Mulher. É um livro que nos conta a história de cinco mulheres. Cinco mulheres que mudam a vida de uma pequena terra. Uma pequena terra que vive ainda com uma visão muito machista e reprimida. A função destas mulheres é distribuírem livros a cavalo, semanalmente, por todas as casas de Kentucky. Surge então a biblioteca itinerante que dá a conhecer o prazer e cultura dos livros aos demais e o poder inerente a um livro. Confrontadas com o poder masculino que se fazia sentir, estas mulheres não se deixam vencer e enfrentam todas as adversidades e todos os obstáculos inerentes a este gesto que mudará vidas. São mulheres heroínas, cada uma com a sua história, cada uma com as suas fraquezas, mas todas elas com coragem e perseverança suficientes para fazer chegar aos outros a magia da leitura. É assustador como a sabedoria e o conhecimento pode mudar a perspetiva de qualquer pessoa e transformar uma sociedade. O poder dos livros é a grande muleta desta história e destas mulheres. Gostei especialmente da personagem Margery. É uma mulher com uma personalidade muito forte e torcida. Também gostei muito da Alice. A Margery foi, no meu ponto de vista, uma excelente influência para a Alice. Relativamente às personagens masculinas, gostei do Sven e do Fred, que foram a antítese de homens como o marido e o sogro da Alice, mesquinhos e machistas, que oprimem o sexo feminino. Foi a minha estreia com a autora e, apesar de não ser o meu género de leitura, até gostei da história. É uma leitura que flui bem. A escrita é bastante envolvente e as descrições estão muito bem conseguidas, permitindo ao leitor visualizar todo e qualquer detalhes daquele ambiente e daquelas personagens. Ainda assim, foi um livro que me custou muito ler. Não sendo o meu género de eleição, não foi fácil interessar-me pelo livro e agarrar-me à história e, por este motivo, atribuo 3 estrelas. Gostei da história e da ideia da biblioteca itinerante, mas faltou qualquer coisa para me fazer embrenhar nas páginas. Facilmente me distraía e me perdia, tendo de voltar atrás na leitura. No entanto, aconselho este livro a todos os leitores, mulheres e homens, adultos, sendo que é um livro que deve ser lido com maturidade e calma. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub